quinta-feira, 26 de maio de 2016

NOSSO SITE OLIMPICO COM A RIO 2016

Handebol e tênis têm novos ingressos à venda para os Jogos Rio 2016, inclusive finais


Brasil tem chance de medalha no handebol, com a seleção feminina campeã mundial, e no tênis, com a dupla Bruno Soares e Marcelo Melo

Handebol e tênis têm novos ingressos à venda para os Jogos Rio 2016, inclusive finais

Meninas do Brasil são destaque no handebol, e Nadal vem em busca de sua segunda medalha Olímpica (Foto: Getty Images)

Você é fã de tênis e handebol e não conseguiu os ingressos de sua preferência nos Jogos Olímpicos Rio 2016? Pode comemorar: ao meio-dia (12h) desta quinta-feira (26), diversas sessões das duas modalidades estarão novamente disponíveis para os torcedores. É mais uma chance para ver de perto, no Parque Olímpico da Barra, a genialidade de astros como Roger Federer e Novak Djokovic ou de acompanhar a seleção brasileira campeã mundial de handebol, com Duda Amorim, Alexandra Nascimento e cia.

Garanta seus ingressos no Portal Rio 2016

Tênis

Enquanto as grandes estrelas disputam o torneio de Roland Garros, em Paris, os cariocas contam os dias para receber os melhores tenistas do mundo no Centro Olímpico de Tênis. Um dos esportes mais procurados pelos torcedores, o tênis volta a disponibilizar ingressos para 28 das 33 sessões, oito meses depois de as primeiras entradas terem se esgotado. Os preços no tênis partem de R$ 70.
Djokovic busca ouro Olímpico inédito e destaca importância da competição: "Quinto Grand Slam"
Os brasileiros que querem torcer pelo país podem apostar na dupla formada por Bruno Soares e Marcelo Melo (o Girafa, líder do ranking mundial da categoria), candidata a conquistar a primeira medalha Olímpica do esporte para o Brasil:
  Além dos brasileiros, Andy Murray, ouro em Londres 2012, e Rafael Nadal, ouro em Pequim 2008, são algumas das feras que não escondem a ansiedade em disputar o ouro Olímpico. O suíço Roger Federer, que venceu Roland Garros em 2009, preferiu não participar do aberto de Paris deste ano para se poupar para outros grandes torneios do ano e estará no Rio.
Já o sérvio Novak Djokovic, o único do "quarteto fantástico" que ainda não tem medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, já declarou: "Vou fazer de tudo para ganhar uma medalha". No feminino, Serena Williams é a favorita ao bicampeonato Olímpico, mas terá que superar feras como a polonesa Agnieszka Radwanska e a bielorrussa Victoria Azarenka.
Serena Williams é um dos destaques do torneio Olímpico de tênis (Foto: Getty Images/Clive Brunskill)

Handebol

A partir desta quinta-feira, todas as sessões têm ingressos disponíveis, inclusive as finais masculina e feminina, essas com preços que partem de R$ 220. Caso prefira entradas mais em conta, o torcedor pode escolher desde já as partidas preferidas da primeira fase, com preços a partir de R$ 70. A competição acontece na Arena do Futuro.
Confira os grupos do torneio Olímpico de handebol
  Já na primeira fase, o torneio Olímpíco do esporte reserva embates entre grandes campeões, como Brasil x Noruega, no feminino, e França x Croácia, no masculino.

NOSSO SITE OLIMPICO ESTÁ NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

MAIS UMA COBERTURA DIRETA DO RIO
Desde ontem estamos na cidade do Rio de Janeiro, com o filho Cleryston para participarmos do 11ºCONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA , evento organizado pelo nosso colega e amigo LEONARDO ALEVATTO.
Ontem no Aeroporto SALGADO FILHO, em PAlegre, estivemos com  a nossa judoca santa-mareinse, MARIA PORTELA, que embarcou para a cidade de GUADALAJARA - México para a disputa da última competição antes da OLIMPIADA.
Ele está otimista e segura que no dia 2 de junho, seu nome estará na lista da CBJ que será entregue da composição da SELEÇÃO BRASILEIRA DE JUDO ao COMITE OLIMPICO DO BRASIL -COB.
 Ontem quando fomos ao Maracanã, pudemos constatar que estava sendo preparada a PIRA OLIMPICA, ao lado do Estádio, onde vai arder o fogo olimpico desde o dia 5 de agosto, quando da abertura até o fechamento dia 21 de agosto, quando se encerram os JOGOS.
ESTRUTURA DO VOLEIBOL DE PRAIA EM COPACABANA
Nas areias de COPACABANA, a RIO 2016 já está construido o CENTRO OLÍMPICO DO VOLEI DE PRAIA, onde o Brasil terá 4 duplas de voleibol ( 2 masculina e 2 feminina), buscando o pódio da RIO 2016
 No alto do CRISTO REDENTOR, nossos pensamentos olhando para a cidade do Rio de Janeiro, e rogando a DEUS as suas bênçãos para que tenhamos uma grande OLIMPIADA
EDIFICIO ANEXO AO PALACE HOTEL COPACABANA, onde ficará a FIEP BRASIL e será instalado o QG OLIMPICO DE COBERTURA DA QUILISPORT  e RÁDIO IMEMBUI dos JOGOS OLIMPICOS 2016.
Esse é mais um projeto dos SEM FRONTEIRAS DA FIEP BRASIL, sendo que este especificamente tem a coordenação do presidente e adjunto da FIEP BRASIL, ALMIR e CÁSSIO e do delegado BERNARDINO.

 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

NOSSO SITE OLIMPICO COM O VOLEIBOL BRASILEIRO






SELEÇÃO FEMININA: Brasil conhece grupo dos Jogos Olímpicos

Atuais bicampeãs olímpicas, brasileiras duelarão com Rússia, Japão, Coréia do Sul, Argentina e Camarões na primeira fase
Da redação, no Rio de Janeiro, 23.05.2016

A seleção brasileira feminina de vôlei conheceu, nesta segunda-feira (23.05), os primeiros adversários nos Jogos Olímpicos do Rio. O Brasil, por ser o país sede, será o cabeça de chave do Grupo A que terá ainda Rússia, Japão, Coréia do Sul, Argentina e Camarões. O grupo B será formado por Estados Unidos, China, Sérvia, Itália, Holanda e Porto Rico.

O posicionamento no ranking mundial foi o critério para a definição dos grupos, sendo a única exceção o Brasil, que foi cabeça de chave por ser sede. Desta forma, Estados Unidos e China, primeiro e segundo no ranking mundial, respectivamente, caíram no mesmo grupo.

O treinador José Roberto Guimarães comentou sobre os grupos nos Jogos Olímpicos do Rio.

"São dois grupos fortes. Nos Jogos Olímpicos não podemos escolher adversários e vamos buscar primeiro a melhor classificação possível dentro do grupo. Seguimos trabalhando forte para chegar no melhor momento em agosto", disse José Roberto Guimarães.

Nos Jogos Olímpicos, as seleções se enfrentarão dentro dos seus grupos e as quatro mais bem classificadas passarão para a fase de playoffs.

GRUPO A:

Brasil
Rússia
Japão
Coréia do Sul
Argentina
Camarões

GRUPO B:

Estados Unidos
China
Sérvia
Itália
Holanda
Porto Rico

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro


domingo, 22 de maio de 2016

GINÁSTICA RÍTMICA BRASILEIRA TAMBÉM SE DÁ BEM NA COPA DO MUNDO DA MODALIDADE




Seleções Brasileiras de Ginástica Rítmica conquistam bons resultados na Copa do Mundo de Minsk
Natália Gaudio levou o prêmio de Miss Criativa e conjunto ficou em sexto em duas finais
Da redação, Santo André (SP) - As Seleções Brasileiras de Ginástica Rítmica encerraram a participação na Copa do Mundo de Minsk, na Bielorrússia, com bons resultados. Neste domingo (22), o conjunto formado pelas ginastas Beatriz Pomini, Emanuelle Lima, Francielly Pereira, Gabrielle Silva, Jéssica Maier e Morgana Gmach participou das finais das cinco fitas e de arco e maças, aumentou a pontuação e ficou em sexto lugar nas duas provas. Nas cinco fitas a nota foi 16,700, enquanto no arco e maças o conjunto fez 16,850 pontos.

A técnica da Seleção, Camila Ferezin, ficou bastante contente com as apresentações de hoje e com o crescimento das brasileiras. "Nós conseguimos melhorar a execução e estamos felizes. Depois do evento-teste, modificamos alguns elementos e colocamos mais colaborações, que valem mais pontos. As notas de hoje são o resultado da melhora da execução das meninas e também do trabalho da comissão técnica. Vamos continuar firmes no nosso objetivo de chegar aos 17,000 pontos", afirmou a treinadora. Em abril, no evento-teste dos Jogos Olímpicos, as brasileiras fizeram 14,883 nas cinco fitas e 16,183 no arco e maças.

Pelo individual, Natália Gaudio, que já havia encerrado a participação no campeonato no sábado (21), ganhou o prêmio de Miss Criatividade.. "Fiquei bem feliz por receber esse prêmio e pelo meu desempenho na competição. Acredito que por ter séries com um estilo diferente, a arbitragem tenha me escolhido para receber o prêmio. Isso é realmente muito gratificante", comemorou a capixaba.

Da Bielorrússia, a delegação brasileira embarca para Sófia, na Bulgária, para mais uma etapa da Copa do Mundo.

Delegação brasileira

Seleção Individual de Ginástica Rítmica
Ginasta: Natália Gaudio
Técnica: Monika Queiroz

Seleção de Conjunto de Ginástica Rítmica

Ginastas: Beatriz Pomini, Emanuelle Lima, Francielly Pereira, Gabrielle Silva, Jéssica Maier e Morgana Gmach
Técnicas: Camila Ferezin e Ekaterina Pirozhkova
Chefe de delegação: Bruna Rosa
Médico: Thiago Leal
Fisioterapeuta: Agilson Lisboa
Árbitra: Maria da Conceição Costa
Delegação brasileira na Bielorrússia (Divulgação)
Delegação brasileira na Bielorrússia (Divulgação)
Alta  | Web
Natália Gaudio e Monika Queiroz (Divulgação)
Natália Gaudio e Monika Queiroz (Divulgação)
Alta  | Web
Natália Gaudio ganhou o prêmio de Miss Criativa (Divulgação)
Natália Gaudio ganhou o prêmio de Miss Criativa (Divulgação)
Alta  | Web



NOSSA GINÁTICA ARTÍSTICA BRILHOU NA COPA DO MUNDO NBO BRASIUL



Etapa brasileira da Copa do Mundo de Ginástica Artística chega ao fim com sucesso de público
Atletas da Seleção Brasileira corresponderam ao apoio da torcida e conquistaram 13 medalhas
São Paulo (SP) - Atletas que se preparam para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em agosto fizeram a alegria da torcida paulista neste domingo (22), durante o último dia das finais da etapa brasileira da Copa do Mundo de Ginástica Artística. Entusiasmado com a performance, principalmente dos brasileiros e de alguns estrangeiros que entraram no clima, o público conferiu mais uma vez uma competição de alto nível técnico e também de organização. Com a presença de ídolos da torcida como o campeão olímpico Arthur Zanetti e de Daniele Hypolito, a etapa chegou ao fim em grande estilo, depois de três dias, no Ginásio do Ibirapuera.

Para o Brasil, não poderia haver saldo melhor. Os atletas nacionais estiveram em todas as finais e conquistaram medalhas em todos os aparelhos. No total foram 13, sendo seis de ouro, quatro de prata e três de bronze. Esses números demonstram como a preparação da equipe brasileira para as Olimpíadas tem sido intensa e tem dado resultado.

Sérgio Sasaki fez uma série impecável na barra fixa e foi o adversário a ser batido pelos demais concorrentes. Com 15,250 ninguém conseguiu alcançar o brasileiro, que comemorou no pódio a medalha de ouro. Já Arthur Nory Mariano não teve a mesma felicidade em um de seus aparelhos preferidos. Com uma rotina com grau de dificuldade bastante grande, acabou soltando a barra em um momento e caiu, deixando escapar uma medalha no aparelho. A nota foi 14,200 e Nory ficou com a quinta posição. A medalha de prata foi para o japonês Kaito Imabayashi, com 15,250, e o bronze para o argentino Nicolas Córdoba, com 14,800.

A disputa das argolas era o momento mais esperado pelo público e o campeão olímpico Arthur Zanetti cumpriu as expectativas com mais uma apresentação brilhante. Zanetti alcançou 15,800 e mostrou porque é o grande nome do aparelho na atualidade, conquistando mais um ouro. O argentino Federico Molinari fez 15,050 e garantiu o segundo lugar, seguido pelo japonês Kaito Imabayashi, com 14,700. Francisco Barretto também representou o Brasil no aparelho e com 14,250 foi o sexto colocado.

Apesar da nota um pouco mais baixa do que a das classificatórias, Arthur Zanetti disse que é normal. "Nas finais, os árbitros ficam um pouquinho mais rigorosos mesmo, porque é uma disputa de medalha. Saí satisfeito com a minha prova e é isso que importa." Ovacionado pelo público, o campeão olímpico diz que se sente prestigiado. "É muito bom ter a torcida acompanhando a ginástica. É um incentivo enorme que a gente tem para voltar ao ginásio e seguir treinando para conseguir mais resultados. Está sendo um treino para a principal competição do ano que é a Olimpíada. Este ano já tivemos o evento-teste e agora essa Copa. Está sendo bem produtivo e estou conseguindo me adaptar bem com a presença desse público enorme. Minha meta foi cumprida."

Daniele Hypolito fez a alegria da torcida ao fechar a competição de solo. Ela somou 13,950 e conquistou o primeiro lugar no pódio. A jovem Carolyne Pedro completou a dobradinha brasileira com o bronze (13,300) ao lado da chilena Simona Castro. A segunda colocação ficou com a alemã Kim Bui, com 13,550.

Carolyne, que se juntou à Seleção Adulta este ano, ficou muito satisfeita com a medalha em casa. "Estou muito feliz por ter conseguido esse bronze. Acho que esse resultado pode me ajudar, como a equipe que irá aos Jogos Olímpicos ainda não foi totalmente definida. Estou treinando muito para isso. Essa experiência e o evento-teste podem me ajudar", comentou a ginasta.

Com a torcida mais uma vez a favor, dois brasileiros disputaram a final de salto masculino. Arthur Nory foi o primeiro a competir e se saiu muito bem nos dois saltos. O primeiro teve nota 15,000 e o segundo 14,600, somando 14,800. O resultado deu a ele a medalha de ouro. Ao lado de Nory no pódio, Sérgio Sasaki conquistou a prata, com 14,675 (15,150 no primeiro e 14,200 no segundo). O japonês Jumpei Oka foi medalha de bronze, com 13,775 (13,400 no primeiro e 14,150 no segundo).

"Eu estava bem focado na barra e no solo, que são meus melhores aparelhos, mas acho que estava um pouco nervoso. As séries são novas. Depois que eu errei na barra eu tive que voltar ao foco, formar uma bolha e voltar. Deu certo." Coincidentemente, Nory disputou hoje as finais de dois aparelhos ao lado do companheiro Sasaki e ele disse que o companheirismo entre os dois está sempre presente. "Não temos rivalidade. Somos 12 na Seleção e todos estão buscando fazer o melhor. Somos uma família. A cada competição temos que tentar fazer bem feito o que treinamos."

Para Sasaki, que retornou este ano às competições após se recuperar de duas cirurgias, a felicidade é grande. "Medalha é sempre bom, mas esse não era o principal foco. Estou voltando e quero estar bem e à disposição da Seleção para as próximas competições", resumiu o atleta.

A trave encerrou a disputa das finais, mais uma vez com duas brasileiras no foco. Daniele Hypolito e Rebeca Andrade dividiram a atenção do público e no final também subiram juntas ao pódio. Daniele, muito concentrada, fez uma ótima série e garantiu a medalha de ouro mais uma vez, com 14,350. A chilena Simona Castro somou 13,050 e ficou com a prata. Já Rebeca, apesar de uma pequena queda, teve um bom desempenho e ficou com o bronze, com 13,000.

"Isso da um gás para a preparação. Sabemos que falta muito a ser feito, mas estamos fazendo um bom trabalho e ele já começou a dar resultado.. Temos noção de que faltou muita gente nessa Copa, mas conseguimos ter uma ideia de tranquilidade para a Olimpíada. Eu esperava fazer meu trabalho bem feito, mas não esperava três ouros", confessou Daniele. "Para nós foi um grande teste, principalmente, com relação à torcida."

A presidente da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Luciene Resende, fez uma análise muito positiva da vinda da etapa da Copa do Mundo mais uma vez para o Brasil, pelo segundo ano consecutivo. "Eu fico emocionada de ver o ginásio lotado para torcer pelos nossos ginastas. Com a proximidade dos Jogos Olímpicos, esse carinho do público é um incentivo a mais para eles. Poder trazer essa etapa de Copa do Mundo para São Paulo em um momento tão importante foi uma verdadeira honra. Conseguimos dar esse presente ao público. Estamos colocando definitivamente o Brasil no calendário internacional da ginástica. Isso só foi possível com a ajuda do nosso patrocinador master que é a Caixa, do Hipermercados Bergamine, que esteve conosco mais uma vez nesse evento, e pela ajuda de parceiros como o Ministério do Esporte e o Comitê Olímpico", finalizou a dirigente.
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Arthur Zanetti (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Pódio das argolas (Ricardo Bufolin/CBG)
Pódio das argolas (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Pódio do salto (Ricardo Bufolin/CBG)
Pódio do salto (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Pódio da barra fixa (Ricardo Bufolin/CBG)
Pódio da barra fixa (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Pódio da trave (Ricardo Bufolin/CBG)
Pódio da trave (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Pódio do solo (Ricardo Bufolin/CBG)
Pódio do solo (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web
Torcida fez a festa no Ginásio do Ibirapuera (Ricardo Bufolin/CBG)
Torcida fez a festa no Ginásio do Ibirapuera (Ricardo Bufolin/CBG)
Alta  | Web

.